terça-feira, 9 de junho de 2009

Pintura

Quando te conheci notei que faltavam cores no mundo

E a aquarela que brilhava no teu sorriso me guiou

A criar minha própria ilusão multicor ao teu redor

Minhas cores têm origem em ti e contigo todas partiram


Senti o frio do meu mundo monocromático

Transformando meu arco-íris em tons de cinza

E nas paredes e tetos úmidos do meu coração

Chovem lagrimas de solidão


Queimo lembranças, sonhos e esperanças

E quando essa me falta queimo ilusões

As brasas feitas de saudade crepitam

E me ferem com o ardor das incertezas


Tua silueta baila perfeita e silenciosamente

A cada movimento incerto das chamas

Enquanto às escuras sombras me devoram

Levando embora o que restou de mim