terça-feira, 14 de setembro de 2010

Provas

Como ando as voltas com elas, achei por bem entrar em detalhes sobre o que penso.

Quem elas aprovam e quem se põe a prova sobre o que?

Tudo são maravilhas quando o resultado delas é positivo, quando a nota é satisfatória vem àquela sensação de que tudo valeu a pena, o alivio de não ter mais que passar por aquele tipo cruel de avaliação, que te deixa sozinho não com um pedaço de papel cheio de questões, mas sim com a verdade, diante de alguém que não tem como mentir para você, pois nessas horas você ainda está escolhendo as desculpas para dar, com desafios que podem determinar se você vai avançar ou terá que voltar para aprender.

Sabe quando você não sabe um assunto ou todo o assunto da prova? Nessas horas ainda assim está passando por outras provas, está provando o impacto das suas escolhas sobre aquele momento. Medindo os prazeres que agora te deixaram naquela situação, isso é quando foram prazeres.

Não sempre, mas algumas vezes coisas ruins nos atrapalham nas provas, nossos motivos não vão mudar o fato que algo no meio de todo o processo deu errado, que você achou errado, planejou errado, foi vitima da coisa errada, pego na hora errada, como se vivêssemos conscientes das horas certas.

Um professor me disse uma vez que não estudamos ou vivemos por momentos, somos e sabemos o que devemos ser e saber todas as horas. Temos que viver preparados para o caminho que escolhemos e não esperando que o caminho se prepare para nós.

Nessas horas de múltiplas provas onde cada uma delas vai te pontuar de maneira diferente. A que você vai entregar ao fiscal vai dizer o que você sabe sobre aquele assunto em particular, a que você enfrenta ao pegar na prova vai dizer o que vem fazendo da sua vida até aquele momento, no instante em que você abaixa a caneta e percebe tudo o que fez ou não fez existe a prova de se modificar para melhor e essa prova nunca acaba.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Uma conclusão.

Os dias do passado parecem distantes e o presente tão permanente. Somente você justifica os meus suspiros e a minha vontade de melhorar, te encontrar é um marco, um porto seguro nesse oceano de incertezas que é viver, ele é o suficiente para arriscar tudo.

Meu caminho é sem volta pelo simples motivo de não existir razões para voltar a um pretérito borrado e desfocado que é a vida sem você.

O amor não me parece mais abstrato, ele tem a tua forma, tua voz, teu cheiro e teu toque, tem o tamanho desse carinho que eu não consigo medir e a beleza do teu sorriso.